Museu do Estado de Pernambuco

O Casarão e a cidade


A proposta de renovação da Museografia do palacete Estácio Coimbra tem como ideia fundamental o casarão como foco, uma casa-histórica, modelo de residência urbana aristocrática pernambucana da segunda metade do século XIX.

Pretende-se aqui apresentar o acervo de artes plásticas e decorativas do MEPE a partir de uma interpretação que se relaciona com a casa histórica e sua relação com a vida social do Recife, desde o período de sua construção, na primeira metade do século XIX, até os primeiros anos do século XX, quando finda o uso do palacete como uma residência da elite pernambucana.

Dessa forma, a exposição está distribuída em sete núcleos conceituais em onze ambientes, de forma a provocar uma reflexão e percepção do modo de vida do cotidiano da sociedade pernambucana nesse período. No novo percurso, o visitante terá a oportunidade de admirar: O casarão e a cidade; Espelho do Oriente; O prazer a mesa; A Europa aqui; Vida Intima e Devoção, além dos jardins com suas esculturas, canhões e plantas ornamentais cuidadosamente distribuídas que remete a um tempo onde as casas aristocráticas incluíam a observação da paisagem urbana, o hábito de observar a vida ao usar o terraço como janelas da vida urbana e do espaço natural.